• cidadeverde.com

Com transporte em crise, estações de ônibus são depredadas em Teresina

Estações de ônibus na zona Sul de Teresina amanheceram depredadas nesta terça-feira (10). A ação foi semelhante nos pontos atacados: portas de vidros quebradas ou arrancadas. Na estação Chesf, na Avenida Henry Wall de Carvalho, parte da fiação ficou exposta. Não há confirmação de onde partiu a depredação e se algo foi furtado.


A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) confirmou o vandalismo e disse que existe uma ação orquestrada para atacar as estações quando estão vazias. Os ataques acontecem quase que diariamente.


“Existe uma ação de vândalos que busca depredar qualquer estação que não esteja com usuário. A gente tem recebido relatórios diários. Hoje recebemos de volta dois ventiladores e uma ar condicionado que foram roubados anteriormente”, disse o Major Claudio Pessoa, superintendente da Strans.


Segundo ele, está sendo feita uma licitação para manutenção predial, limpeza e segurança para todas as estações e terminais de passageiros de Teresina. O certame está em fase de tramitação interna na Secretaria Municipal de Administração (Sema).


“Estamos em contato com a PM e a Guarda para manter o sistema em funcionamento e garantido a segurança dos usuários. A função da PM é garantir a ordem e a Guarda zelar pelo patrimônio público”, afirmou o superintendente.

Ao Cidadeverde.com o comando da Guarda Municipal disse que nenhuma denúncia de vandalismo foi feita através do 153, canal de comunicação da corporação.


“A gente não recebeu nenhuma informação oficial e extra oficial. Temos o nosso canal de comunicação, o 153, mas não recebemos nenhuma denúncia sobre a depredação. A gente tomou conhecimento apenas pela mídia”, relatou o comandante André Viana.


Em nota, a Strans disse que "acionou os órgãos de segurança pública na perspectiva de identificar os autores do vandalismo na estação de passageiros".


Transporte em crise

O transporte público de Teresina vive uma crise sem precedentes, que culminou em uma CPI na Câmara Municipal da capital. Empresários e a prefeitura de Teresina travam uma queda de braços sobre o financiamento do sistema. Enquanto isso, motoristas e cobradores alegam que estão com salários atrasados. Constantes paralisações são realizadas, prejudicando a população.


O relatório final da CPI que apura a crise no transporte público de Teresina deve ser apresentado ainda no mês de agosto.


Hérlon Moraes redacao@cidadeverde.com

Posts em Destaques
Posts Recentes