• Diário do Transporte

Fim da isenção fiscal às empresas de ônibus do RJ elevará em R$ 0,10 o custo da tarifa

Já sobre a alta do diesel, somente para o BRT, necessidade de aporte sobe para R$ 7,2 milhões por mês


ADAMO BAZANI

As empresas de ônibus do Rio de Janeiro reagiram ao anúncio da prefeitura de entregar um projeto de ajuste fiscal que, entre outros pontos, acaba com a isenção do ISS aos serviços de transportes urbanos.


De acordo com o Rio Ônibus, sindicato que reúne as viações, “caso o imposto volte a vigorar, o percentual de isenção de 2% poderá doer no bolso do cidadão, que pagaria média de R$ 0,10 a mais em cada passagem”.


O Diário do Transporte mostrou que a gestão do prefeito Eduardo Paes deve entregar para a Câmara Municipal o programa de ajuste fiscal que deve trazer ao município um retorno de R$ 8,3 bilhões em dez anos.


Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/03/01/empresas-de-onibus-do-rio-de-janeiro-podem-perder-isencao-do-iss-em-proposta-de-reforma-fiscal-de-r-83-bilhoes-de-eduardo-paes/


A entidade patronal também afirmou que por causa do novo aumento do valor do óleo diesel, as necessidades de aportes para a manutenção de operação do BRT vão subir em R$ 200 mil por mês, passando para R$ 7,2 milhões.


“O novo aumento, de 5,03%, representa impacto mensal de mais R $770 mil no orçamento dos consórcios operadores. Só para o BRT, a fatura com combustível sobe R$ 200 mil. O sistema BRT carece de aporte de R$ 7 milhões mensais na receita para oferecer um serviço com a qualidade que o cidadão precisa. Minutos depois, com o anúncio do reajuste do diesel feito pela Petrobrás, o valor necessário para performance adequada saltou para R$ 7,2 milhões.” – dia a nota.

O Diário do Transporte também mostrou que partir de terça-feira (02), o diesel fica 5% mais caro com reajuste médio de quase 13 centavos por litro (R$ 0,1294) e a gasolina tem alta de 4,7%, com elevação de pouco mais de 12 centavos o litro (R$ 0,1240) nas refinarias.


Em relação ao diesel, é o quarto aumento no ano com acúmulo de 32,72%. Gasolina aumenta pela quinta vez em 2021 e está 39,48% mais cara no acumulado.


Assim, em média, o diesel passa a custar nas refinarias em torno de R$ 2,70 o litro na refinaria (sem os demais custos) e a gasolina passará para R$ 2,60 aproximadamente.


Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/03/01/de-novo-petrobras-aumenta-diesel-em-5-e-gasolina-em-47/


O porta-voz do Rio Ônibus e do BRT, Paulo Valente, opinou na mesma nota que tanto a gestão Eduardo Paes como a gestão Bolsonaro lançam uma “bomba” sobre o setor de transportes.


“Em tempos de extrema necessidade de socorro a este serviço vital à retomada da economia da cidade, os governos Federal e Municipal lançam uma verdadeira bomba sobre o setor. Não há dúvidas sobre quem perde com isso: o usuário do transporte coletivo. Seja com aumento nos preços da passagem ou com a degradação do sistema. Em todo o mundo, bem como em inúmeras capitais brasileiras, o transporte público recebe subsídios para manutenção do serviço, enquanto no Rio, o poder público mantém operação que depende exclusivamente da população pagante para sobreviver” – disse Valente.


Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes


Posts em Destaques
Posts Recentes
Arquivos
Pesquise por Tags
Siga-nos
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • LinkedIn Social Icon