top of page
  • G1 Bahia

Rodoviários anunciam fim da greve e retomada da circulação dos ônibus metropolitanos na quinta-feira

Categoria rejeitou proposta das empresas, mas decidiu retornar aos postos de trabalho até a reunião de mediação com o Ministério Público da Bahia.


Os rodoviários que decretaram greve no transporte entre Salvador e a região metropolitana nesta quarta-feira (13), anunciaram o fim da paralisação e a retomada da circulação dos ônibus metropolitanos na quinta-feira (14).


A decisão foi tomada em assembleia, no fim da tarde desta quarta (14), horas após o início da paralisação.


Apesar disso, o Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários da Região Metropolitana (Sindmetro) rejeitou a proposta das empresas que operam o transporte. Os profissionais vinculados à entidade vão retomar os postos de trabalho até que aconteça uma reunião de mediação com o Ministério Público da Bahia (MP-BA), marcada para o dia 26 de março.


"Tem duas rodadas de negociação pra acontecer e tentar chegar a um consenso e a última rodada é até o dia 26 do mês corrente. Se até lá tiver avanço, a gente faz assembleia de novo e é a vida que continua com o trabalhador. Se não houver avanço, infelizmente nós teremos outra greve a partir do dia 26", disse Catarino Fernandes, diretor de comunicação do Sindmetro.


Em nota, a associação que representa os empresários disse que pediu a suspensão da greve e ressaltou que novas rodadas de negociação estão garantidas.

Os rodoviários negociam há 102 dias pautas como:


  • Reajuste de 11% no salário;

  • Aumento de 20% no ticket alimentação;

  • Aumento de 100% na cesta básica.

De acordo com o Sindmetro, 1,8 mil rodoviários aderiram ao movimento e cerca de 300 ônibus ficaram parados nas garagens desde às 0h desta quarta.


Apenas os rodoviários das empresas Expresso Metropolitano e Brisa, que operam nas cidades de Simões Filho, Dias D'Ávila e Mata de São João, operaram normalmente durante este dia porque não são associados ao sindicato.

A greve dos rodoviários das empresas Atlântico, Avanço, ATP, Costa Verde e Expresso Vitória afetam as cidades:



Em Salvador, a greve dos rodoviários metropolitanos causou impactos na estação Aeroporto na manhã desta quarta. A Secretaria de Mobilidade (Semob) informou que houve reforço nas linhas que atendem os passageiros nas estações onde os metropolitanos operam.


A Prefeitura de Lauro de Freitas afirmou ainda que também preparou uma operação emergencial para atender as pessoas. Foram colocados 110 micro-ônibus da cooperativa Transalauf para trafegarem nos bairros da cidade.


A última vez que os rodoviários metropolitanos fizeram greve foi em novembro do ano passado. O movimento foi encerrado horas depois após acordo entre a categoria e as empresas.


Crise no transporte metropolitano


Em 24 de janeiro de 2022, a empresa Viação Sol de Abrantes (VSA) encerrou as operações em oito linhas que atendem as cidades de Candeias, Camaçari e Simões Filho. Os passageiros foram pegos de surpresa e tiveram dificuldade para fazer deslocamentos.


Já no dia 14 de março de 2022, os ônibus da empresa Bahia Transporte Metropolitano (BTM), que circulavam entre as cidades de Salvador, Lauro de Freitas e Camaçari, amanheceram sem rodar por falta de combustível. Sem o óleo diesel, cerca de 40 ônibus – que faziam 19 linhas – não saíram das garagem e a empresa decretou falência.


A licitação para renovação de frota dos ônibus que operam o Sistema Rodoviário Metropolitano chegou ser prevista em 2017 e depois, em 2019, mas não aconteceu.


Já em 2023, a Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba) informou que, o processo não chegou a acontecer por causa da pandemia da Covid-19 e do aumento considerado dos custos.


De acordo com a agência reguladora, todo o processo vai precisar ser revisto para adequar à nova realidade. A Agerba disse ainda que tem discutido com o Ministério Público da Bahia (MP-BA) alternativas para o subsistema metropolitano, enquanto novos estudos para a licitação ficam prontos.


Veja abaixo a cronologia de atos feitos pelos rodoviários:


👉 FEVEREIRO DE 2023: Os rodoviários metropolitanos fizeram uma paralisação de 24 horas. Na época, um acordo foi feito para que o dinheiro fosse liberado no dia 20 de julho;


👉 JULHO DE 2023: A categoria entrou em greve, com o pedido do pagamento de direitos trabalhista para cerca de 500 trabalhadores demitidos por duas empresas, que pediram falência. As empresas tinham frota e garagens alugadas - e não teriam patrimônios para serem penhorados.


As empresas dizem que aguardam o repasse de uma verba federal que estaria com o Governo do Estado para poder pagar os ex-funionários. A gestão estadual afirma que os recursos foram distribuídos entre as empresas de transporte de forma correta.


A Procuradoria Geral do Estado (PGE-BA) entrou com um pedido na Justiça para que a greve fosse declarada ilegal. O movimento foi encerrado dois dias após o início, quando o Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região (TRT5), concedeu a liminar suspendendo a PGE.


👉 AGOSTO DE 2023: Ex-funcionários do transporte metropolitano fizeram uma caminhada e bloquearam uma das faixas da Estrada do Coco, sentido Salvador. Segundo o sindicato da categoria, 530 ex-funcionários das empresas BTM, VSA e Linha Verde ainda não tinham recebido as indenizações trabalhistas.


Na ocasião, PMs do Batalhão de Choque tentaram encerrar o protesto com o uso de bombas de efeito moral. Alguns manifestantes ficaram feridos.


Em nota, a PM disse que tentou várias vezes negociar a liberação da via, mas os participantes ocuparam também a terceira faixa da pista. Com isso, os policiais decidiram usar artefatos de luz e som para dispersar os manifestantes.

O protesto provocou um engarrafamento de quase seis quilômetros na estrada do coco. A Agerba disse que as rescisões trabalhistas não são de competência da agência. As empresas de ônibus não se posicionaram sobre o assunto.


O MP-BA aponta irregularidades no transporte metropolitano e ajuizou uma ação civil pública contra o Estado e o município de Salvador. Na ação, ajuizada no dia 2 de agosto, o órgão solicitou:


  • Desativação de linhas metropolitanas que façam linha na capital baiana;

  • Desligamento de linhas que operam através de ônibus elétrico.



Transporte metropolitano


Mais de 3 milhões de pessoas são transportadas mensalmente em 80 linhas que compõe o sistema rodoviário metropolitano feito por ônibus urbano.


As linhas atendem a sete cidades que ficam na Região Metropolitana de Salvador. 63 linhas fazem integração com o metrô da capital baiana. O sistema metropolitano também tem sistema de bilhetagem eletrônica, conhecido como "metropasse".


O "metropasse" é o cartão eletrônico recarregável utilizado pelos moradores das cidades que ficam na região metropolitana. Ele permite que as pessoas façam integração das linhas metropolitanas com o metrô e ônibus urbano da Integra, durante um período de três horas.


Com isso, é possível combinar a viagem de ônibus metropolitano com o metrô e também de ônibus metropolitano, metrô e ônibus urbano, pagando apenas o valor da tarifa do ônibus metropolitano.


A tarifa varia entre R$ 4,80 a R$ 9,90. O transporte metropolitano é autorizado mediante a concessão ou permissão da Agerba, e as empresas devem ter cadastro, licenças e frota de veículos vistoriada, para manter a operação.

Comments


Posts em Destaques
Posts Recentes
Arquivos
Pesquise por Tags
Nenhum tag.
Siga-nos
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • LinkedIn Social Icon
bottom of page