top of page
  • G1 BH

Tarifa de ônibus em BH sobe para até R$ 6 neste domingo, e passageiros reclamam: 'Transporte sujo'

Especialistas apontam para reflexos na inflação da capital e passageiros reclamam da qualidade do serviço


Quem passou pela catraca dos ônibus de Belo Horizonte desde às 0h deste domingo (23), já pagou R$ 6 pela tarifa. O aumento de 33% no valor da passagem foi anunciado na quarta-feira (19). O valor, até então, era de R$ 4,50.


De acordo com o gerente da Fundação do Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis da UFMG (IPEAD), Eduardo Antunes, o aumento vai causar grande impacto na inflação de Belo Horizonte. “Um reajuste desse num produto tão importante como o ônibus acaba impactando toda a cadeia que existe em torno disso: alimentos, a prestação de serviços, tudo fica mais caro indiretamente também”, afirmou.


Além da tarifa predominante ter passado de R$ 4,50 passa para R$ 6, a das linhas circulares e alimentadoras sofreu reajuste de R$ 3,15 para R$ 4,20.


O transporte em vilas e favelas, que custavam R$ 1, terá tarifa zero, segundo o superintendente de Mobilidade da Prefeitura de Belo Horizonte, André Dantas.

“Não é como o benefício de um cartão que a pessoa tem gratuidade, ou no caso do passe estudantil, que a pessoa tem o valor parcial da tarifa. Qualquer pessoa que entrar em uma linha de linhas e favelas vai poder utilizar o transporte com tarifa zero”, disse.

Más condições

Passageiros reclamam que o alto valor das passagens não retorna em melhorias no transporte.

“Horários, transporte sujo, muitas vezes os ônibus estragam no meio do caminho”, afirmou o técnico administrativo Geraldo Jacinto.

A lotação também incomoda a empregada doméstica Maria Aparecida Oliveira.

“Tem dia que a gente tem que pegar ônibus cheio, vem em pé... calor danado”, disse.

A estudante Mírian Brasil também destacou a quantidade de pessoas nos coletivos.

“O que me incomoda bastante é que os ônibus estão sempre cheios. É difícil pegar”, afirmou.

🚌O reajuste foi uma imposição das concessionárias do transporte, que pedem pelo aumento desde o fim do subsídio pago pela PBH de R$ 237 milhões, em março deste ano. Em contrapartida, o município determinou o aumento do número de viagens.


🚌O fim do pagamento levou à Câmara Municipal a aprovar uma lei com um novo modelo para ajuda de custos, de acordo com a quilometragem rodada pelos ônibus.


🚌Segundo a prefeitura, é preciso complementar o novo formato com a aprovação de mais um projeto de lei, que autoriza repasses que podem chegar à R$ 476 milhões. O preço da passagem pode ser reduzido após esses trâmites.

Comments


Posts em Destaques
Posts Recentes
Arquivos
Pesquise por Tags
Nenhum tag.
Siga-nos
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • LinkedIn Social Icon
bottom of page