top of page
  • Governo do Estado de São Paulo

Trem Intercidades a Campinas fará em 64 minutos viagem de 3h com transporte coletivo

Leilão para a construção do novo modal ocorre nesta quinta-feira (29); trem será opção de transporte para moradores de 11 cidades


O trajeto entre São Paulo, Jundiaí e Campinas vai ser facilitado com a chegada do Trem Intercidades (TIC) Eixo Norte. O leilão de concessão do trecho está agendado para o esta quinta-feira (29), na sede da Bolsa de Valores de São Paulo.


A ligação direta entre as cidades será realizada via trem expresso de média velocidade, que será o mais rápido em operação no Brasil. O trajeto entre São Paulo e Campinas contará com uma parada em Jundiaí.


Atualmente, quem opta pelo transporte público depende de transferências entre a Linha 7-Rubi da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), ônibus municipais em Jundiaí e em seguida um intermunicipal até Campinas.


O percurso da estação Barra Funda, na capital, até Jundiaí leva cerca de uma hora. Para chegar da estação Jundiaí da CPTM até a rodoviária local, no entanto, são mais dois ônibus circulares, o que leva cerca de uma hora e vinte minutos. A viagem de ônibus entre Jundiaí e Campinas tem duração de uma hora e quinze minutos. Ou seja, o itinerário completo – Barra Funda a Campinas – leva mais de três horas e meia. 


Outra opção é pegar um ônibus intermunicipal ou fretado para ir diretamente de São Paulo a Campinas. No trecho, o tempo de viagem leva entre 1h30 e 2h. Além dessas alternativas, resta a viagem com veículo particular.


“Para quem mora na região, vai melhorar bastante o transporte. Acho o trem uma ótima ideia. Até porque, para ir para Campinas, preciso pegar ônibus atualmente. Quanto mais beneficiar o trabalhador, melhor”, afirma Rubinalvo Alencar, que utiliza diariamente a Linha 7 da CPTM para ir até Jundiaí.


Rubinalvo afirma que o Trem Intercidades será benéfico para moradores da região como eleO trajeto entre São Paulo e Campinas pelo TIC terá duração de 64 minutos, com 15 minutos de intervalo entre os trens, e com uma parada em Jundiaí. A velocidade média será de 95 km/h, podendo chegar a 140 km/h em alguns trechos. Cada trem poderá levar até 860 passageiros.


Além da praticidade e conforto, o TIC representa uma opção de transporte mais sustentável, uma vez que os trens elétricos emitem menos gases poluentes em relação ao modal rodoviário.


Trem parador

O projeto de Parceria Público Privada (PPP) do TIC Eixo Norte ainda prevê a implementação do Trem Intermetropolitano (TIM), também chamado de “trem parador”, que será interligado à Linha 7-Rubi.


O TIM terá 44 km de extensão, ligando Jundiaí e Campinas com paradas em Louveira, Vinhedo e Valinhos. O percurso será feito em 33 minutos, com velocidade média de 80 km/h, superior aos 56 km/h médios do metrô. Os trens terão capacidade para até 2.048 passageiros cada. 


“Muitos jundiaienses trabalham em Campinas e o trem vai ajudar nesse fluxo. Vai evitar de ter que ficar pegando ônibus ou carro. Para a cidade, vai ser muito importante”, opina Ednilson Pereira Rosa, morador de Jundiaí. Corretor de imóveis, ele avalia que a reativação do trem de passageiros pode atrair novos empreendimentos nas cidades da região, uma vez que o transporte entre elas será facilitado. 


Morador de Francisco Morato, Alex Antônio utiliza a Linha 7-Rubi para ir ao trabalho em Jundiaí. Para ele, o trem de passageiros facilita a mobilidade de quem reside ou trabalha na Região Metropolitana Noroeste de São Paulo.


“(Para ir até Campinas) seria uma viagem que você vem de trem, para na estação Jundiaí e pega ônibus para Campinas. O TIC facilitaria muito, tanto para o trânsito até o emprego como também para o lazer. Assim que inaugurar, estarei usando”, afirma.


De acordo com o edital, a previsão é que o Trem Intercidades fique pronto em 2031. O Trem Intermetropolitano será concluído em 2029.


Linha 7-Rubi

Além das duas novas linhas de trem de passageiros, a PPP prevê que as atuais 17 estações da Linha 7-Rubi entre a Barra Funda e Jundiaí passem a ser geridas pela empresa concessionária, com previsão de requalificação da linha.

Maior malha em extensão de trem urbano de São Paulo, com 57 quilômetros, a linha é atualmente gerida e operada pela CPTM. Em 2023, ela foi responsável pelo transporte de mais de 98,9 milhões de passageiros. A expectativa é que a concessão da Linha 7 atenda aproximadamente 400 mil pessoas por dia.


O tempo médio do percurso está estimado em 1 hora por sentido, na velocidade comercial de 56 km/h. Ao final da concessão, a previsão é de que o intervalo de trens seja de 3,5 minutos nos horários de pico.


Somando os três sistemas integrados – TIC São Paulo-Campinas, TIM e Linha 7-Rubi -, 550 mil pessoas serão transportadas diariamente no primeiro ano de operação conjunta. Os 11 municípios contemplados pelos trechos dos modais somam uma população de 15 milhões de pessoas, que serão beneficiadas pelas novas alternativas de rota.

Comments


Posts em Destaques
Posts Recentes
Arquivos
Pesquise por Tags
Nenhum tag.
Siga-nos
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • LinkedIn Social Icon
bottom of page